sexta-feira, janeiro 04, 2008

Críticas

Todo mundo sabe que a unanimidade é burra. E nada como um boa crítica, principalmente na contramão da maioria. Neste post vou comentar dois sites que encontrei na internet.

WAR: Wilson & Alroy's Record Reviews.

Cheguei a este site a partir de um link na Wikipedia. Ele está repleto de críticas ácidas a discos. Eles não gostam muito de rock progressivo. Consideram o Led Zeppelin ladrões. Não dão mais que duas estrelas para o Pink Floyd. Se recusam a fazer críticas de vários artistas conhecidos. Muito divertido, mesmo que não se concorde com as críticas.

Para coroar eles são fãs de Wing. Para quem não conhece, veja o vídeo, acesse o site oficial e leia o que a Wikipedia tem a respeito.

John T. Reed analisa Pai Rico, Pai Pobre

Alguns anos atrás me indicaram o livro Pai Rico, Pai Pobre de Robert T. Kiyosaki como sendo um guia para a sabedoria financeira. A premissa parecia interessante: o autor se propõe a comparar os conselhos dados por seu pai (o Pai Pobre) com os conselhos dados pelo pai de um amigo (o Pai Rico). Eu comprei o livro, li, e não achei grande coisa. Os conselhos me pareceram genéricos, os exemplos não me convenceram e ao final achei que não tinha aprendido nada de novo.

Uma vez que o livro é um best-seller, fui olhar os comentários na Amazon e lá encontrei o link para esta página. Embora a página seja longa, cansativa, com uma formatação bem simples e alguns comentários pareçam pedantes ou dor-de-cotovelo, John T. Reed aponta uma série de falhas concretas no livro.

A começar por uma comparação com uma verão anterior do livro, no qual o "Pai Pobre" é descrito como o melhor professor que ele já teve e o "Pai Rico" não é sitado. Aliás a identificação do "Pai Rico" se revelou um mistério sem solução. Uma serie de afirmações do livro são confrontadas com fatos e até mesmo com outras afirmações no mesmo livro (vide Taking both sides). Uma leitura interessante para quem leu ou não "Pai Rico, Pai Pobre", mesmo para quem gosta do livro (desde que tenha a mente um pouco aberta).

Uma curiosidade adicional são os motivos pelo qual John T. Reed não vende o seu livro Succeeding através da Amazon.

Um comentário:

Wanderley Caloni disse...

Nesses meses pra trás li alguns livros sobre educação financeira e investimentos, e tenho notado que a maioria deles tem um tom não-ficcional meio disfarçado de auto-ajuda e guia espiritual. No entanto, o resultado final é muito bom (pelo menos para um leigo). Também li Pai Rico, mas em PDF, o que me exclui da lista dos colaboradores do Kiyosaki =).

Aqui vão alguns livros que eu recomendo:

O homem mais rico da babilônia: ótimo para iniciantes que precisam ter primeiro controle de seus orçamentos.

Os axiomas de zurique: sobre investimentos agressivos, é o oposto do primeiro, mais conservador.

Investindo em ações: fica no meio termo, mas escolhe, como a unanimidade dos especialistas (que entram na categoria desse seu artigo), investimentos mais "seguros" no meio dos "arriscados". Esse é um daqueles que usa ficção mais com gosto de ficção mesmo.