sexta-feira, novembro 23, 2012

Rick Wakeman em São Paulo

Embora eu goste de ouvir música, sou um imenso preguiçoso no que diz respeito a ir em shows. Entretanto, as circunstâncias acabaram propiciando a minha ida ao show do Rick Wakeman na quarta passada (21/11/12). Foi um show excelente


Eu estava um pouco preocupado com a marcação de um show extra às 23:00 e um possível encurtamento do show das 21:00 (que foi o que eu assisti). Não creio que isto tenha acontecido, o próprio Rick encurtou a falação entre uma música e outra dizendo que "temos muito a tocar e um outro show depois". O set list foi o mesmo apresentado (no dia anterior!) em Porto Alegre, durando quase duas horas:
  • Uma versão resumida the "Journey to the Centre of the Earth" (The Journey/Recollection/The Battle/ The Forest)
  • Catherine Howard das "Seis Esposas de Henrique VIII"
  • The Visit de "Phantom Power"
  • Solo de bateria e baixo
  • Uma versão resumida de "The Myths and Legends of King Arthur and the Knights of the Round Table" (Arthur/Guinevere/Sir Lancelot and the Black Knight/The Last Battle)
  • Music Reincarnate de "No Earthly Connection"
  • Catherine Parr das "Seis Esposas de Henrique VIII"
  • Merlin the Magician de "The Myths and Legends of King Arthur and the Knights of the Round Table"
  • Starship Trooper  do Yes (bis)
 A banda incluiu dois antigos colaboradores de Rick, Ashley Holt (vocais) e Tony Fernandez (bateria). Tony Fernadez é simplesmente incrível e foi longamente aplaudido.

As escolhas de vocalistas de Rick são consideradas, mesmo pelos seus fãs, como excêntricas. Ashley Holt foi o vocalista original da maioria das faixas executadas no show e teve uma excelente performance. Só não se saiu bem em "Starship Trooper", mas acho difícil alguém chegar perto do desempenho de Jon Anderson nesta música.

Na guitarra, o menos conhecido Dave Colquhoun, que participou de alguns álbuns recentes e do show em Cuba (tá na fila comentar o DVD deste show). A música de Rick não é normalmente associada a solos de guitarra e, realmente, em algumas músicas Dave ficou meio sumido. Quando foi exigido, como em "The Visit" e "Starship Trooper", mostrou muita competência e habilidade.

No baixo o "estranhão" Nick Beggs, que conta com um extenso currículo. Além do bom trabalho com o baixo, ainda teve a oportunidade de mostrar a sua habilidade com o Chapman Stick no solo de bateria e baixo.

Rick? O cara continua detonando na técnica e, além de belas melodias com piano e os solos marcante com os Mini-Moogs, ainda nos brindou com alguns sons mais peculiares dos outros sintetizadores. Em Merlin, pegou um "teclado de sovaco", duelou com o guitarrista e passeou pela plateia. Durante o passeio escolheu uma assustada moça que segurou precariamente o teclado no palco enquanto ele tocava o característico trecho rápido desta música.

O show foi no Teatro Bradesco, no Shooping Bourbon. Para mim a localização foi excelente (trabalho nas proximidades). O amplo estacionamento do shopping foi uma comodidade na hora de parar (na hora de sair teve uma longa e lenta fila de carros). O teatro em si é bastante confortável, mas me pareceu limitado nos recursos de iluminação e em determinado momento fiquei com a impressão de uma distorção na amplificação (mas isto pode ter várias causas).

O público se comportou muito bem até o momento em que ele passeou pela plateia, a partir daí a frente ficou congestionada de gente com celulares e câmeras e quem estava nas primeiras fileiras não teve outra opção além de ficar de pé o restante do show.

No dia seguinte já tinha  no YouTube vários trechos da apresentação, como a parte com o teclado portátil, um trecho de The Visit, etc. Sugestão para quem está lendo este post ainda em novembro: busque Rick Wackman São Paulo no YouTube e filtre pela data. Ah, o som destas gravações caseiras é ruim e às vezes tem algum "backing vocal" tosco de quem está gravando.

2 comentários:

Aurelio Moraes-Jornalista disse...

Amigo, fui nos dois shows. Bom o seu texto. Filmei algumas músicas na íntegra, em Full HD, e tirei algumas fotos com alta resolução.
Dá uma olhada
http://aureliojornalismo.blogspot.com.br/2012/11/resenha-rick-wakeman-viaja-ao-passado.html

Abraços

Daniel Quadros disse...

Aurélio, o seu texto está bem melhor... Eu nem imaginei que ia rolar toda aquela permissividade quanto a fotos e filmagens, estava só com meu celular cujo ponto mais fraco é a câmera (a foto no post foi o melhor que consegui). Espero que o Rick volte em breve